Tools

Uma solenidade realizada na noite de segunda-feira marcou oficialmente o início das atividades da Farmácia Ensino da UEM em suas novas instalações. Vinculada ao Departamento de Farmácia e Farmacologia (DFF), a FEN está localizada em local estratégico, próxima à Rua Lauro Werneck, com acesso mais fácil para a comunidade externa. 

O prédio foi construído com recursos da própria farmácia. A área construída é de 589 metros quadrados, englobando quatro salas para docentes, área para atendimento ao público, sala do técnico, copa, seis sanitários, sala de medicamentos controlados, sala de inalação, sala de injetáveis, sala de administração, consultório, dois almoxarifados, sala de lavagem, sala de manipulação de sólidos, sala de manipulação de líquidos e semi-sólidos e sala de controle de qualidade. O espaço possui sistema de climatização, circuito fechado de TV, alarme e sistema central de sonorização.

Na cerimônia, a coordenadora da FEN, Raquel Soares Tasca, fez um histórico sobre a criação do setor, na gestão do ex-reitor Rodolfo Purpur. Destacou o papel da Farmácia Ensino, sobretudo como campo de estágio profissional e no atendimento diferenciado à comunidade. Segundo Tasca, a FEN atendeu em 2006 a cerca de 28,7 mil, perfazendo uma média diária de 157 pacientes. Conforme a ela, neste ano o número de atendimento deverá ser ainda maior. Disse, ainda, que 60% dos medicamentos vendidos no setor são genéricos, facilitando a vida dos servidores com renda menor.

Segundo a chefe do DFF, Marli Miriam de Souza Lima, a intenção é que mais pessoas tenham acesso à FEN. Conforme ela, o setor pretende ampliar os serviços, entre eles, a Atenção Farmacêutica, um trabalho personalizado prestado pelos farmacêuticos e professores do estágio de informação sobre os medicamentos. Outra parte a ser resgatada, a manipulação, depende da contratação de pessoal e de algumas adequações nas instalações de acordo com a legislação vigente. A vice-diretora do Centro de Ciências da Saúde, Sandra Peloso, parabenizou o DFF pelo empreendimento, enaltecendo a luta de seus professores e profissionais pela construção do espaço.

Citando que a UEM tem adquirido alguns indicadores de excelência, o reitor Décio Sperandio enfatizou que a instituição aparece, no ranking da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), na 17ª colocação no Brasil em produção científica, num conjunto de mais de 2 mil instituições de ensino superior no País. Para ele, a FEN dá “uma demonstração cabal de que existe excelência na UEM e que é possível atingir este nível numa universidade pública”. Segundo ele, a universidade deve se pautar pelos valores da generosidade, integração e empreendedorismo. A FEN “é um espaço em que a face generosidade da UEM vai ocorrer”.

O reitor anunciou que o projeto, em elaboração, para a construção de uma butique ligada aos cursos de Moda e Design, como projeto de ensino, foi inspirado no projeto da FEN. A solenidade reuniu também pró-reitores e assessores, diretores e vice-diretores de centro, coordenadores de colegiado de curso, chefes de departamentos, e alguns fundadores do Departamento de Farmácia e Bioquímica, atual DFF, como os ex-professores Basílio Baccarin e Elza Barbosa.

A UEM também deve receber a Farmácia Popular. Está regularizando a parte burocrática da documentação exigida pelo Ministério da Saúde. Já está construindo um anexo ao bloco da FEN, com 100 metros quadrados, onde funcionará a Farmácia Popular, que venderá medicamentos que o Ministério listou como prioritários e necessários à população a preços especiais.