Tools

Foi inaugurada, na última sexta-feira (25), a Miniestação Digital Maringá, na Cooperativa Maringá de Materiais Recicláveis e Prestação de Serviço –  Coopermaringá. A Fundação Banco do Brasil doou cinco computadores com acesso à Internet, que serão usados pelos membros de todas as cooperativas de reciclagem, ligadas ao Núcleo/Incubadora Unitrabalho-UEM, por meio de um projeto de responsabilidade da professora da Universidade, Celene Tonella (DCS), membro da Unitrabalho.

A inauguração da Miniestação Digital é mais uma das ações que vêm sendo implementadas por meio de uma parceria entre a Fundação Banco do Brasil e a UEM. Segundo Celene Tonella, “na primeira fase do projeto, a Fundação BB doou quase R$ 200 mil para a compra de uma máquina de picotar PET, um caminhão e um computador para cada uma das cooperativas ligadas à Unitrabalho. Agora, chega a Miniestação, que tem o objetivo de proporcionar às cooperativas de catadores de Maringá e região a apropriação do uso das tecnologias de forma que elas possam trazer melhorias no seu trabalho e garantir elementos para uma melhor inserção social”, completa a professora da UEM.

O reitor da UEM, Décio Sperandio, deixou claro que um dos papéis da Universidade é dar respaldo à sociedade e que a questão do lixo é um problema que vai além do lixo reciclável, “é preciso pensarmos como resolver a destinação de outros tipos de resíduos, como por exemplo, o da construção civil, e a universidade está envolvida em vários destes projetos, desde que eu fui vereador, entre 97 e 2000”, lembrou.

A comunidade

A miniestação está localizada na rodovia PR-317, km 8, saída para Astorga, onde fica à Coopermaringá. Os computadores estarão disponíveis à comunidade em geral. Vários representantes das cooperativas ligadas à Unitrabalho estavam presentes: a presidente da Coopercanção, Neide Pereira Sales; o diretor da Cooperativa Central, Agnaldo Germano da Silva; o presidente da Coopernorte, Nilson Marques; e Jefferson Damasceno, representante da Unisol. A anfitriã e presidente da Coopermaringá, Sílvia Cardoso da Silva Sabiar, disse que a Miniestação vai “nos ajudar a divulgar o nosso trabalho e que é necessário agradecer a Universidade por tudo isso, porque é o pessoal de lá que vem nos ajudando, acreditando no nosso trabalho, todos os dias, aqui conosco”.

Os cooperados concordam com dona Silvia. Alex Lima Albuquerque, 21, disse que já teve computador, mas teve que vender. Para ter acesso à Internet usa o serviço de uma lan-house. Agora, vai ficar mais fácil o acesso. “Estou até pensando em voltar a estudar”, disse. O amigo dele, Fabio Pires da Silva, 23, confessou que não sabe mexer em computadores, mas acredita que é importante e “vai ser bom aprender”. A Miniestação vai contar com um educador social, pelo período de um ano, para auxiliar no uso dos equipamentos.

Elogios

Todas as autoridades que se pronunciaram durante a cerimônia destacaram o empenho de professores e alunos envolvidos na Unitrabalho para a concretização da inauguração da Miniestação. O vice-coordenador da entidade e professor do Departamento de Zootecnia da UEM, Júlio Damasceno disse que se sentia honrado de ser representante de um grupo de pessoas que não atendem aos interesses do capital, “mas que se empenham em atividades de inclusão e justiça social estimulando melhores condições de trabalho, um dos fatores mais importantes para a dignidade humana”. O representante da prefeitura de Maringá e secretário de Meio Ambiente e Agricultura, Diniz Afonso, falou que é “uma alegria ver o trabalho de extensão da Universidade que a leva a mergulhar na comunidade, com seus professores e alunos. Isso nos anima”.

O gerente da agência centro do Banco do Brasil, Maurício Maschetto – que estava acompanhado do gerente de Governo do BB, Diógene Sgobero –, lembrou que “todos os países que conseguiram resgatar a cidadania do seu povo o fizeram por meio da educação. Além de dar apoio às atividades administrativas da cooperativa, esperamos que a Miniestação possa apoiar ações educativas. E precisamos deixar claro que não estamos fazendo nenhum favor e, sim, retribuindo o lucro que o Banco do Brasil conquistou, por meio do apoio a uma iniciativa que conta com o trabalho árduo e sério de um grupo ligado à UEM”.