Tools

Dois representantes do Ministério da Saúde estiveram na UEM, ontem (17), para avaliar as atividades do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde (Pró-Saúde) desenvolvidas pelos cursos de odontologia e medicina.

O encontro, realizado na sala do bloco didático do hospital universitário, reuniu os assessores do Pró-Saúde, Maria Auxiliadora Christófaro e Marco Manfredini, membros dos comitês gestores do Pró-Saúde da medicina e odontologia e integrantes do Comitê de Acompanhamento do Pró-Saúde da UEM, formado por professores dos cursos de medicina, odontologia e enfermagem, representantes das secretarias municipais de saúde de Maringá e Marialva, comunidade local, Conselho de Saúde de Maringá, e dos técnicos-administrativos da UEM.

O Pró-Saúde visa a permitir a reorientação da formação profissional da área de saúde, com o objetivo de capacitar um profissional que trabalhe conforme as necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo a coordenadora do projeto no curso, professora Cynthia Junqueira Rigolon, com os quase R$ 400 mil que recebeu até agora a odontologia investiu o dinheiro principalmente na reforma das unidades básicas de saúde do Conjunto Ney Braga e do município de Marialva. Também aplicou boa parte dos recursos na aquisição de material de apoio, entre eles computadores, para a unidade básica de saúde do bairro Mandacaru.

Conforme o coordenador do projeto na medicina, professor Roberto Esteves, dos cerca de R$ 160 mil que já recebeu o curso aplicou a verba em diversas atividades, como a estruturação do centro de estudos da unidade básica de saúde do bairro Mandacaru (para atender aos alunos em rodízio no estágio em saúde coletiva) e o projeto de implantação de vigilância epidemiológica em gestantes.

O encontro serviu também para que fossem apresentados os avanços, as dificuldades, as mudanças identificadas e o impacto para o desenvolvimento do currículo, discutir o planejamento de ações para o próximo ano e elaborar um documento com sugestões de encaminhamento para o segundo ano da carta-acordo sobre o Pró-Saúde.