Tools

O Fórum Nacional de Coordenadores de Curso Piloto de Administração está avaliando, em Maringá, o curso que é oferecido na modalidade a distância. As atividades estão sendo desenvolvidas de manhã e à tarde, desde ontem até amanhã (26), no Hotel Deville. Os participantes também estão debatendo a nova proposta a ser implementada em várias universidades brasileiras: o curso em Administração Pública tanto no formato da graduação como de pós-graduação a distância.

Hoje de manhã (25), durante a solenidade de abertura, o coordenador do curso da UEM, Vicente Chiaramonte Pires, disse que estavam trabalhando para fazer do ensino algo presente na sociedade brasileira, para democratizar a educação e permitir o alcance da população que deseja estudar. O representante das instituições de ensino superior federais e da comissão colegiada, Dario de Oliveira Filho, destacou que esta etapa de avaliação e definição é muito importante para o curso a distância no Brasil. Lembrou que, dos países de língua portuguesa, o País está mais avançado nessa área. Falou que é momento de partir para consolidação do ensino de administração pública a distância.

A representante da diretoria da Universidade Aberta do Brasil (UAB), Nara Pimentel, agradeceu a Universidade Estadual de Maringá (UEM) por ser colaboradora e parceira no levantamento de demanda e oferta de cursos a distância. Sobre o curso piloto, apontou que ele é o embrião do sistema UAB, um sistema que permite produção de material, discussão no fórum e colegiado de forma coletiva. Após a solenidade, explanou sobre o programa de administradores públicos.

O representante das IES estaduais, Silvar Ferreira Ribeiro, fez um resgate dos momentos vividos no passado em que as universidades estaduais eram preteridas no acesso a verbas federais e que agora as estaduais e as federais estão juntas lutando por uma causa comum de consolidar o projeto e de aumentar as vagas nas universidades. O diretor do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da UEM, Clóvis de Souza, apontou a responsabilidade social e o papel do CSA no caminho do ensino a distância, somando esforços com os demais atores do processo.

O reitor Décio Sperandio resgatou alguns dados da UEM e falou que a Universidade oferece três cursos a distância: Normal Superior, Pedagogia e Física e tem outros três sendo preparados: História, Letras e Biologia, além do curso de Administração Pública. Ressaltou que a UEM fez uma opção institucional por esta modalidade de ensino, que permite o acesso à educação superior a muitos que moram em outras cidades e não teriam condições de vir até Maringá. Finalizando sua fala, disse esperar que o encontro trouxesse novas orientações e recomendações não só para a área de Administração.

O projeto pedagógico do curso de Administração Pública da UEM já recebeu parecer favorável do MEC e do Fórum anterior, mas precisa ainda passar pelos conselhos internos. Se aprovado, a UEM deve oferecê-lo a partir de 2009 ou 2010. O curso piloto, oferecido por sete universidades estaduais e 18 federais, começou em 2007 e termina em 2011. É uma parceria entre as instituições de ensino e a Universidade Aberta do Brasil/BB/Capes/Seed/MEC.