Tools

 O Departamento de Enfermagem da UEM está comemorando um ano do projeto de pesquisa Condições de vida e saúde de bebês de risco e suas mães, em Maringá, ao longo do primeiro ano de vida.

Sob a coordenação da professora Sônia Marcon, do DEN, a pesquisa tem o objetivo de monitorar todos os bebês nascidos em Maringá e incluídos no Programa de Vigilância do Bebê de Risco.

Assim, são acompanhados bebês nascidos com baixo peso, com pontuação apgar menor ou igual a 7 (nota atribuída ao recém-nascido de acordo com as condições de nascimento e respiração do primeiro ao quinto minuto de vida) no quinto minuto de vida, idade gestacional inferior a 36 semanas, idade materna menor de 17 anos, com algum tipo de anomalia, e filho de mãe com o vírus HIV.

Também são levados em conta critérios como a condição socioeconômica e/ou o uso de drogas pela mãe. Segundo a coordenadora do projeto, o baixo peso ao nascer e a prematuridade constituem os dois fatores de risco mais importantes para os bebês, devido a sua elevada freqüência e alta relação com a morbi-mortalidade no primeiro ano de vida.

O acompanhamento dos bebês ocorre por meio de visitas domiciliares, que também têm o objetivo de identificar intercorrências na saúde, conhecer o perfil de morbidade das crianças e das mães e a rede social de apoio das famílias, e a prática de alimentação da criança no primeiro ano de vida.

Foram incluídos no projeto quase 400 bebês, mas apenas 364 são efetivamente acompanhados, em função de muitas crianças inicialmente incluídas não morarem no município.

Participam do projeto 11 professores do Departamento de Enfermagem da UEM, quatro do Cesumar, 12 enfermeiros voluntários e mais de 30 alunos de enfermagem dos dois cursos.

Para comemorar o aniversário de um ano do projeto, será realizada, no próximo sábado (30), a partir das 14 horas, no Recanto do Menor, uma festa para reunir as famílias participantes da pesquisa.