Tools

Conhecimento e saúde mental são a ênfase do IV Congresso Internacional de Psicologia (CIPSI) e a X Semana de Psicologia da Universidade Estadual de Maringá que começaram ontem (27), no Centro de Eventos Araucária, com cerca de 1,3 mil inscritos. Hoje de manhã, houve a solenidade oficial de abertura, com a presença do vice-reitor Mário de Azevedo, que citou que estamos vivendo tempos ditos de crise, mas também momentos de reflexão e inflexão.

Azevedo lembrou que a comunidade universitária é pequena no Brasil e que apenas 13% dos jovens entre 18 e 24 anos estão no ensino superior. Para ele, há perversidade nesses números. E perversidade maior ainda quando se verifica que 70% dos matriculados estão nas áreas de ciências humanas e sociais aplicadas e 30% nas de saúde, tecnologia, exatas. Segundo o vice-reitor, o encargo de refletir o mundo fica para os 70%, mas que isso deveria ser feito por todos, que a interdisciplinaridade e o diálogo envolvessem todas as ciências.

Azevedo conclamou os participantes a exercitar os valores básicos que a humanidade fez que fossem importantes para a cidadania, como a solidariedade, fraternidade, liberdade, igualdade.

A coordenadora dos eventos, Sônia Shima Barroco, destacou que os participantes voltariam instrumentalizados pelo conhecimento e pela experiência. Lembrou que, em momentos de crise, é preciso acionar a criatividade e que, quando a necessidade é criada, é necessário responder a ela. Falou que o desafio da Psicologia não é só explicar o psiquismo humano e como se constitui e desenvolve, mas também seu compromisso político, ético, histórico e social.

A chefe do Departamento de Psicologia, Lúcia Cecília da Silva, disse que este ano é especial para o DPI, pois o curso completa 30 anos de existência. A professora citou as diversas atividades desenvolvidas de ensino, pesquisa, extensão, eventos, mestrado, cursos de especialização e Revista Psicologia em Estudo e ressaltou que as muitas tarefas exigem muito esforço, mas as dificuldades nos tornam mais fortes.

A diretora-adjunta do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Ismara Tasso, destacou que o Departamento de Psicologia conquistou o respeito e a credibilidade, constituindo-se em um espaço de conhecimento e saber sobre o sujeito, de produção de conhecimento, disseminação do saber, formação de profissionais para sociedade.

Marco Reys, do MéxicoLogo após a solenidade, Marco Eduardo Murueta Reys, da Universidade Nacional Autônoma do México, proferiu a conferência de abertura: Psicologia e Projeto de Humanidade. O tema faz parte da nova teoria que Reys trabalha há 30 anos. Esta é a sétima vez que Reys vem ao Brasil.

Programação variada

Na programação, estão conferências, mesas-redondas, minicursos, apresentação de trabalhos, sessões de painéis, sessões de comunicação oral, com participação de palestrantes do Brasil, Rússia, Cuba, México e Argentina. Estão previstos ainda lançamentos e sessões de autógrafos de livros. Dos autores da UEM, estão as obras Psicologia Histórico-Cultural: contribuições para o encontro entre subjetividade e a educação; Valorização ou Esvaziamento do Trabalho do Professor? Um estudo crítico-comparativo da teoria do professor reflexivo, do construtivismo e da psicologia vigotskiana; Psicologia Educacional e Arte: uma leitura histórico-cultural da figura humana; Higiene e Raça como Projetos: higienismo e eugenismo no Brasil; O Olhar no Espelho “Conversas” sobre a Pesquisa em Ciências Sociais; Angústia e Sociedade na Obra de Sigmund Freud; O Ardil da Criança: o pensamento adulto sobre a criança sob um aporte psicanalítico; Le Social Dans la Construction Freudienne de la Psychanalyse; Angústia e Sociedade na Obra de Sigmund Freud; Cuidado na Vivência do Doente de Câncer: uma compreensão fenomenológica; Políticas Públicas e Educação: debates contemporâneos; Dançando com os Textos Gregos: a intimidade da literatura com a educação; Vygotski: a construção de uma Psicologia Marxista; Inclusão Escolar: concepções de professores e alunos de educação regular e especial; e Intervenções Pedagógicas na Educação Escolar Indígena: contribuições da teoria histórico-cultural.

Dentre os vários assuntos em pauta estão a hiperatividade, o sucesso e fracasso escolares e a saúde mental. O evento, que prossegue até sexta-feira (29), tem como tema “Conhecimento e saúde mental: compromisso com o desenvolvimento humano”. O evento também comemora os 30 anos do curso de Psicologia da UEM. 

Os eventos são promovidos pelo Departamento de Psicologia, pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia e pelo Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UEM.