Tools

Premio Simposio Farmacognosia - Curitiba

Fruto do trabalho de uma estudante bolsista do Pibic, pesquisa fornece subsídios para o controle de qualidade da planta

A estudante Naiara Gancedo e os professores Maria Auxiliadora Milaneze-Gutierre e João Carlos Palazzo de Mello, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), receberam menção Honrosa no XI Simpósio Brasileiro de Farmacognosia, ocorrido em Curitiba, pelo trabalho "Estudo morfoanatômico das folhas de Limonium brasiliense".

Apresentado na forma de painel, o estudo é fruto de uma pesquisa desenvolvida por Naiara, aluna do curso de Farmácia, como bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC).

A pesquisa envolve as folhas do Limonium, conhecida popularmente por baicurú e alecrim de pântano, encontrada na região litorânea do Sul do Brasil. Embora não haja relatos do uso popular das folhas da planta, existem estudos sobre a ação antimicrobiana do extrato dioxânico. 

Tendo em vista que estudos botânicos são imprescindíveis para detectar fraudes, Naiara procurou descrever morfoanatomicamente as folhas do baicurú, fornecendo subsídios para o controle de qualidade desta espécie. 

Simposio Farmacognosia - Curitiba site

As folhas foram coletadas na Ilha dos Marinheiros, Rio Grande do Sul, e depositadas no herbário da UEM. A estudante (foto) fez a caracterização macro e microscópica, além de testes histoquímicos. Para isso, as amostras foram analisadas ao microscópio óptico (MO) e eletrônico de varredura (MEV). 

O baicurú tem folhas simples, incompletas, com filotaxia rosulada na base, inodoras, adstringentes e ásperas ao tato após secagem. Ao final da pesquisa, Naiara determinou as principais características morfoanatômicas das folhas da planta, que podem ser utilizadas no controle de qualidade das folhas íntegras ou cominuídas.  

O professor João Carlos Palazzo de Mello, do Departamento de Farmácia (DFA), da UEM, foi o orientador do trabalho. A professora 

Maria Auxiliadora Milaneze-Gutierre, do Departamento de Biologia (DBI), foi a co-orientadora.

Segundo a equipe premiada, o sucesso do estudo se deve ao apoio imprescíndivel do Complexo de Centrais de Apoio à Pesquisa (Comcap), da UEM. O Complexo é vinculado à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PPG).

Além do XI Simpósio Brasileiro de Farmacognosia, foi realizado, simultaneamente, em Curitiba, de 9 a 11 deste mês, o XVI Simposio Latinoamericano de Farmacobotânica.