Tools

olericultura

Com a duração de quatro horas, atividades levaram conhecimento técnico a produtores de diversas culturas agrícolas da região

Na tarde desta terça-feira (29), cerca de 400 produtores rurais, de diversas culturas agrícolas da região de Maringá, participaram de um Dia de Campo. O evento, realizado no Centro Técnico de Irrigação (CTI), da Universidade Estadual de Maringá (UEM), marcou o início das atividades do Simpósio Sul Brasileiro de Olericultura.   

O evento, promovido pelo Departamento de Agronomia (DAG), em parceria com a Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e Caixa Econômica Federal, teve a colaboração de mais de 25 estudantes de agronomia de todos os níveis acadêmicos. Com a duração de quatro horas, as atividades tiveram como foco as novas técnicas envolvendo os aspectos fitossanitários, manejo de água, adubação e pós-colheita de hortaliças e culturas folhosas, como o tomate e pepino; flores comestíveis; couve-flor e brócolis; feijão-vagem e a ervilha torta.

Para o coordenador do evento, José Usan T. Brandão Filho, a intenção é fazer com que os agricultores compreendam as novas tecnologias do campo, de maneira prática. Segundo ele, o que for desenvolvido na academia deve ser apresentado às comunidades rurais. “As informações repassadas deverão tornar os produtores ainda mais competitivos”, salientou. 

Presente ao Dia de Campo, a agricultora Izolina de Fátima Messias, produtora de milho e quiabo, está iniciando a produção de morango na cidade de Itambé. Para ela, o Dia de Campo elimina diversas dúvidas da cultura, superando as expectativas. “Agora me sinto mais segura em trabalhar com novas culturas”, disse a produtora rural.

Para o vice-reitor Julio Damasceno, a estrutura disponível no CTI, bem como o esforço de todos os envolvidos, oferece condições ideais para a realização de um evento desta magnitude. “Em termos de qualidade de vida, o meio urbano deve estar em sistonia com o rural, e aqui testemunhamos o retorno da ciência em beneficio da sociedade”, afirmou. 

O secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, destacou a importância dos projetos das universidades públicas paranaenses em benefício do micro e pequeno produtor. “O progresso no campo só existe graças à participação efetiva de professores, dos pesquisadores e também de estudantes da graduação e de pós-graduação. A ciência não pode parar”, assegurou.  

Além do vice-reitor da UEM e do secretário da Seti, diversas autoridades prestigiaram o Dia de Campo, entre pró-reitores, diretores de centro, e professores do DAG.

O evento segue, nesta quarta-feira (30), a partir das 8h15, no auditório do PDE, câmpus da UEM, com a previsão de cinco palestras e duas mesas-redondas. Um dos destaques é a conferência "Ciência e Tecnologia em Prol do Agricultor", às 20h15. Entre os palestrantes estão o professor José Usan Brandão Filho, do Departamento de Agronomia da UEM; o professor Marco Antônio da Silva Vasconcellos, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ); e Décio Sperandio, diretor Geral da Secretaria Estadual da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti).

O Simpósio termina na sexta-feira (1º). Outras infomações estão disponíveis no site ou pelos telefones (44) 3011-8916 e 3011-5489. 

 

Galeria de fotos