Tools

ABERTURA

O evento propôs uma abordagem multidisciplinar sobre a doença

Uma caminhada pela avenida Mandacaru abriu a programação do dia dedicado ao combate ao diabetes no Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM) . Essa foi uma das atividades que movimentaram o estacionamento do hospital na manhã deste sábado (11).

O Dia Mundial do Diabetes é celebrado no dia 14 de novembro. A Campanha foi criada em 1991, pela Federação Internacional do Diabetes (IDF, sigla em inglês), em conjunto com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em resposta às preocupações sobre os crescentes números de diagnósticos no mundo. A pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada este ano, pelo Ministério da Saúde, mostrou que o número de brasileiros diagnosticados com diabetes cresceu 61,8% nos últimos 10 anos.

Segundo um dos organizadores do evento do HUM, o professor de endocrinologia do curso de medicina da Universidade Estadual de Maringá (DMD/UEM) e médico do ambulatório do hospital, Wilson Eik, o objetivo da mobilização foi divulgar a necessidade de prevenir esta doença silenciosa, que pode trazer comprometimentos severos à saúde como cegueira, problemas circulatórios graves e, por causa deles, provocar amputações”, alertou.

Caminhada – A caminhada deste sábado contou com o momento de aquecimento, como a professora Ana Silvia, e com a animação dos Médicos da Graça. Danilo Souza e Camila Ficher, ambos de 9 anos, participaram da iniciativa e sabiam que o exercício físico era uma forma de combater o diabetes. “Meu irmão teve diabetes com 16 anos. Curou com caminhada e comida”, disse Camila.

A servidora do HUM, Lindinalva Louzada, disse que sabe que precisa se exercitar, porque come muito. “Não faço caminhada, mas venho trabalhar todos dos dias de bicicleta, uma maneira de não ter diabetes, porque que me exercito”, completou a funcionária da área de higiene e limpeza do hospital.

COLAGEM DIABETES

Além da caminhada, a iniciativa contou com uma grande tenda montada no estacionamento do HUM. Nela os visitantes puderam receber orientações sobre o diabetes, além de aferir a pressão, o peso e a glicemia, numa ação coordenada pelos alunos de medicina.

Os estudantes de graduação e pós-graduação da Educação Física da UEM proporcionaram a que passou pela tenda a oportunidade de conhecer os níveis de força e elasticidade do corpo. Ainda foi possível conversar com nutricionistas do HUM e do UniCesumar, que fazem estágio no Hospital Universitário, sobre alimentação saudável.

Como a atividade física é uma das formas de combater os males que levam ao diabetes, como a obesidade, começamos o dia nos exercitando. Mas é importante que as pessoas saibam como comer corretamente para evitar o ganho de peso e não consumam alimentos que possam prejudicar o funcionamento do organismo”, acrescentou Rodolfo Souza, presidente da Liga de Endocrinologia de Maringá (Lema).

“Na verdade, trouxemos para esse evento uma abordagem multidisciplinar  com o objetivo de mostrar as pessoas as ações necessárias para garantir uma vida saudável e longe do diabetes”, completou a professora e endocrinologista do HUM, Mirian Takahashi.

ORGANIZADORES

O evento do Dia do Diabetes foi organizado pela Lema, pelo Departamento de Medicina (DMD/UEM), pelo Departamento de Educação Física da UEM (DEF), pelo grupo de nutricionistas do HUM e do UniCesumar, além da Assessoria de Ensino, Pesquisa e Extensão do HUM.