Tools

2018 02 20 Reunião Agrotóxicos MG 2663

Representantes de instituições públicas e privadas participaram

O uso abusivo de agrotóxicos nas lavouras paranaenses foi amplamente debatido hoje (20) pela manhã na Reitoria da UEM. O encontro foi uma solicitação do Procurador de Justiça, Saint-Clair Honorato Santos, e da promotora, Rosana Araújo de Sá Ribeiro, e reuniu o vice-reitor, Julio César Damasceno, a representantes de instituições que atuam na área e professores de cursos de graduação e de pós-graduação das ciências agrárias e engenharias.

Participaram da reunião Ednei Nascimento, representante do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER), Carlos Alberto de Andrade (DAG/UEM), Ednaldo Michellon (DAG/UEM), Elenice Tavares Abreu (GRE/UEM), Jorge Villalobos (DGE/UEM), Maria Cecília Olher (Nupélia/UEM), Samuel Veríssimo (Nupélia/UEM), Telmo Antonio Tonin (DAG/UEM) e Rômulo Diego de Lima Behrend (Unicesumar).

O MP está promovendo uma série de encontros com instituições que possam colaborar com mecanismos de proteção à população paranaense contra as consequências do contato excessivo com agrotóxicos. De acordo com Rosana, a Universidade tem potencial para colaborar com esta iniciativa que será benéfica para a saúde pública da população de Maringá e região. “A UEM como instituição pública, as demais instituições e o MP podem realizar ações voltadas para o interesse público”, completou.

Para o vice-reitor, os cursos oferecidos pela UEM formam profissionais altamente qualificados para atuarem no mercado de trabalho e as pesquisas desenvolvidas dentro da Universidade podem colaborar com dados reais sobre a situação no Estado.

O principal projeto defendido pelo MP é a zona de proteção verde, em que se delimita uma área entre a zona urbana e as plantações na qual é proibida a aplicação de agrotóxicos. “É possível plantar nessa área, porém sem uso de produtos químicos. Por isso é importante desenvolver estratégias para que se combata às pragas de forma natural. Acreditamos que os pesquisadores da UEM podem contribuir também com projetos que orientem os produtores rurais”, destacou Rosana.