Tools

atlética1

UEM recepciona mais de 3 mil novos alunos

 A Semana de Integração: Calourada 2018 começou hoje (12) em todos os câmpus da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Oficinas, palestras, apresentações culturais e vivências corporais compõem a programação que segue até o dia 23.

No câmpus sede de Maringá, o evento iniciou as atividades pela manhã no Palco Livre, ao lado do Restaurante Universitário. Durante a abertura oficial, representantes da administração da UEM e dos estudantes recepcionaram os calouros.

calourada abertura

O reitor, Mauro Baesso, destacou que a administração, por meio da reitoria e dos demais setores administrativos, luta para manter a qualidade da UEM. Mauro ressaltou também o sentimento de pertencimento e valorização que a comunidade acadêmica possui.

O professor Julio Damasceno, vice-reitor, afirmou que a formação é infinita e que neste momento começa um novo ciclo, mas que o processo de aprendizado será contínuo, por isso os alunos devem ser proativos e participativos. Explicou também que a Universidade oferece um conjunto de setores e pessoas que darão apoio à formação acadêmica.

Representando o prefeito de Maringá, Ulisses Maia, o Secretário Municipal de Cultura, Rael Toffolo, destacou o empenho do Diretório Central de Estudantes (DCE), que buscou parcerias e conseguiu recursos para a realização das atividades da Calourada 2018. Rael é professor do Departamento de Música da UEM e esteva à frente da Diretoria de Cultura antes de assumir o cargo na prefeitura.

Ana Tiyomi Obara, pró-reitora de Ensino, agradeceu o empenho da comissão organizadora da Calourada 2018. Segundo a professora, as atividades estão embasadas em uma formação crítica e responsável, mostrando aos novos integrantes da comunidade acadêmica que é possível viver e aprender em um ambiente livre de violência e discriminação.

Representando a pró-reitora de Extensão e Cultura, Itana Maria de Souza Gimenes, Érica Cintra, diretora de Extensão, falou sobre os 460 projetos de extensão em andamento e convidou os alunos a participarem das ações que a UEM oferece à comunidade local. Marivânia Conceição de Araújo, diretora de Cultura, chamou atenção dos participantes para a importância de se estudar em uma universidade pública e de qualidade.

O diretor de Graduação, John Kennedy Pereira de Castro, explicou que a proposta do evento teve base no protagonismo coletivo, destacou a realização das oficinas e ressaltou que serão duas semanas de aprendizado, integração e humanidade.

“O que buscamos é mais do que uma universidade pública, mas uma universidade a serviço do interesse público”, destacou Giovanna Serafim Morelli, presidente do DCE. Ressaltou ainda a importância dos movimentos estudantis e da união dos alunos para melhoria da instituição.

DCE

As baterias das atléticas encerraram as boas-vindas aos calouros. Em seguida, todos foram convidados para um momento simbólico, em que os participantes puderam sugerir ações a serem realizadas na UEM colando folhas em uma ilustração em formato de árvore que decora a recepção da Biblioteca Central (BCE).

calourada 12 03 2018 20180312 1798281324

calourada 12 03 2018 20180312 2042929512

Calouros

O sonho de ingressar na UEM começou hoje (12) para aproximadamente 3800 novos alunos. Ao todo, mais de 17 mil alunos iniciam as atividades acadêmicas.

Com o início das aulas, o que fica clara é a vocação dos novos estudantes da Universidade. Os próximos anos serão preparatórios e de muita dedicação para aprender a profissão escolhida. A caloura de Psicologia, Isabela Braga, afirmou com convicção o motivo que a fez escolher o curso. “Eu quero ajudar as pessoas dessa forma. Estou muito feliz com a minha decisão”.

Jaqueline Fernandes sempre soube que queria ser professora e gostava muito de geografia. “Por isso, a decisão foi fácil: Licenciatura em Geografia”, afirma. Já para Afonso Luiz de Oliveira a escolha demandou mais tempo. “Eu queria um curso de Biológicas, fiquei em dúvida entre Biologia e Biomedicina, e acabei optando pela última”.

A Calourada 2018 oferece atividades gratuitas e abertas à comunidade interna e externa da Universidade, preferencialmente aos calouros, porém se houver sobra de vagas nas oficinas estas poderão ser preenchidas pela comunidade acadêmica em geral.