Tools

logo USF

São projetos alocados em cinco subprogramas que serão desenvolvidos em comunidades carentes de vários municípios

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) foi a instituição de ensino superior pública paranaense que mais teve projetos de extensão aprovados no Edital que selecionou propostas para receber suporte financeiro do Programa Universidade sem Fronteiras (USF).

Ao todo, 16 projetos da UEM foram aprovados e receberão financiamento em subprogramas nas áreas de educação; promoção da saúde; agricultura familiar e agroecologia; inovação e diversidade cultural; e inclusão e direitos sociais. 

A instituição enviou, para análise do USF, 63 propostas de projetos, o numero máximo que a Seti permitia para o referido Edital. Todas as propostas inscritas tinham a anuência da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PEC), da UEM, como exige a lei que regulamenta o Programa.

A Universidade Estadual de Londrina (UEL), com 14 projetos selecionados, foi a segunda com maior aprovação, e a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) foi a terceira com mais projetos aprovados, no total de 12. 

Além das principais universidade estaduais do Estado, a Universidade Federal do Paraná (UFPR), e alguns institutos, entre eles o Iapar, concorreram ao Edital. O resultado do processo de seleção pode ser visto neste link.

Bolsões de pobreza

 Criado em 2007, e tornado lei em 2010, como política da Estado, o USF tem por objetivo executar uma política de extensão nas instituições públicas ou privadas, sem fins lucrativos, que praticam a disseminação de conhecimentos via projetos de extensão. 

O Programa prioriza o financiamento de projetos que serão desenvolvidos nas áreas consideradas estratégicas, ou seja, as que privilegiam os municípios com baixo Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), além dos bolsões de pobreza das periferias das cidades paranaenses.

As ações do USF visam o desenvolvimento da pesquisa, da capacitação e da produção tecnológica voltadas para a melhoria da qualidade de vida da população paranaense, por meio do fortalecimento e da constante modernização do sistema produtivo estadual.

Elaborado e desenvolvido pela Seti, o Programa se tornou, em termos de investimento financeiro e capital humano, a maior ação de extensão universitária em curso no Brasil. Desde outubro de 2007, equipes multidisciplinares compostas por educadores, profissionais recém-formados e estudantes das universidades e faculdades públicas do Estado do Paraná, trabalham em centenas de projetos, presentes hoje, em mais de 200 municípios.