Tools

Foto5 2 1

Equipe tem a responsabilidade de gerenciar a logística do Hospital

Você imagina como funciona a logística de um hospital? Isto é, como se compra, estoca e distribui os inúmeros materiais que são usados em todos os setores de uma instituição de saúde? Pois este o tema da nossa reportagem especial desta semana. Conversamos com Izaías Valentin Ávila, chefe da Divisão de Almoxarifado e Compras do Hospital Universitário de Maringá (HUM), desde 1994.

Segundo Ávila, o Almoxarifado e Compras são “setores de guarnecimento”, onde se tem a responsabilidade e o cuidado de fazer as provisões para abastecer o hospital com exceção dos medicamentos, que tem um almoxarifado a parte, o Centro de Abastecimento Farmacêutico (Café). Fora isso, todos os materiais passam pelo almoxarifado geral. Este se divide em diferentes espaços. Há um grande galpão onde se tem materiais de limpeza, impressos, descartáveis, materiais radiológicos e material médico e hospitalar como máscaras, acessórios de equipamentos e inflamáveis, pneus, entre outros objetos.

“Além do almoxarifado geral, existem o almoxarifado de obras, que armazena os itens destinados à manutenção estrutural do hospital; o almoxarifado da cozinha, controlado pelas nutricionistas devido às dietas dos pacientes, que contém materiais perecíveis e alimentos; e o almoxarifado do Hemocentro, com alguns itens específicos. Estes são controlados por especialistas em cada área e ficam em espaços separados do almoxarifado geral”, explica Izaías, que completa: “criamos uma otimização do espaço físico e organizacional, junto aos responsáveis técnicos, que acompanham o material desde a sua aquisição, suas especificações no edital de compra, até o recebimento, o controle de armazenamento e a distribuição adequada. Nestes almoxarifados, se lida com itens muito específicos que requerem um conhecimento mais técnico e, desta forma, precisamos de gente habilitada para organizar cada um”.

O almoxarifado geral está no local externo ao hospital por questões de espaço físico. Ali ficam os materiais de consumo mais essenciais, que são distribuídos semanalmente, respeitando uma escala organizada por setor. “Além deste espaço, há uma unidade dentro do hospital, acoplada ao novo prédio administrativo, que funciona 8 horas por dia, com itens de urgência. Por exemplo, acessórios para substituições devido à falha de equipamentos que possam comprometer o atendimento do paciente e, também, de equipamentos do dia a dia, como itens do setor de internação e itens de informática. Em resumo, o espaço da área externa lida com materiais que estocamos em grande quantidade, enquanto esses almoxarifados internos cuidam de materiais mais específicos. Hoje, se opera com um sistema de aquisição de material online, por meio do qual cada setor faz o seu pedido pelo sistema Gescomp [programa de informática que gerencia os pedidos] e, então, o almoxarifado se programa para comprar o que é necessário e fazer a distribuição”, explica Izaías Ávila.

Foto10 1

Compras – Atrelado a toda essa dinâmica de estocagem e distribuição de insumos e material de consumo, está o Setor de Compras e Licitações. A equipe é responsável por todas as compras do hospital, garantindo o suprimento das necessidades materiais da instituição. Cada setor, baseado na sua demanda, históricos e relatórios de consumo faz uma previsão e elabora as solicitações de compra. Isso é previamente planejado e estudado e, em seguida, é realizada a abertura de uma licitação, que é necessária para o processo de compra de todo e qualquer material público.

“Existem diversas modalidades de licitação. Os funcionários do setor das licitações definem o modelo para cada aquisição do HUM. Nossa equipe tem como foco especificar o melhor produto entre os itens necessários ao Hospital, sem direcionar preferências de fornecedor e para que a licitação não seja impugnada por alguma empresa participante. Tudo é estudado para estar dentro das leis e das normas de compra. E mais: existem no hospital diversas comissões de materiais e equipamentos para, justamente, favorecer o órgão público, comprando com qualidade e com o melhor preço. Esse é um processo trabalhoso, que demanda uma grande dedicação dos trabalhadores e das comissões”, declarou o chefe de divisão.

Foto9 1

No almoxarifado, hoje, trabalham cinco servidores diariamente, em horário comercial e em plantões de 12 horas, nos finais de semana: Jaime Mota Fernandes, Carlos Alberto Betinardi Pedro, Rafael Liniker de Deus e João Batista da Silva, além de Izaias. O Setor de Compras é composto por Antônio Vieira Chacha, Mirian Micarelli Struett, Jucilei da Silva Araújo, Ivanilson Arrebola e Adenilson de Freitas subdivididos nos setores de pregão, licitações e gestão de contratos. No espaço da Compras ainda atuam o funcionário de apoio da administração do HUM, Marcos Cipriano da Silva; e o técnico em informática Alexandre Harada.