Tools

capa

Aberto, hoje (13), evento tem conferências, mesas-redondas, simpósios e apresentações de trabalhos

Professores e pesquisadores, estudantes e profissionais das áreas de linguística e literatura de pelo menos oito países, incluindo o Brasil, estão participando, desde o início da tarde desta quarta-feira (13), na Universidade Estadual de Maringá (UEM), do 5º Colóquio Internacional de Estudos Linguísticos e Literários (Cielli).

São cerca de 1.200 pessoas inscritas para o evento, oriundas da Austrália, Portugal, Estados Unidos, Argentina, Brasil, Espanha, México, Uruguai, e de vários estados brasileiros.

Ao longo de três dias, o evento terá três conferências, mais de 50 simpósios, seis mesas-redondas e quase 900 apresentações de trabalhos científicos. Além do bloco F-67, onde ocorreu a abertura, hoje, as atividades estão sendo desenvolvidas em outros blocos do câmpus sede da UEM.

Ao discursar na abertura, o  vice-reitor Julio Damasceno exaltou a importância do trabalho coletivo na organização do Colóquio. "Sabemos a dificuldade de se realizar um evento, ainda mais de nível internacional, num ambiente de muita incerteza", disse.

mesa

Referindo-se à temática do encontro, que engloba inclusive a questão da internacionalização, Damasceno afirmou que esta área é de vital importância para a Universidade e, embora a UEM seja uma instituição jovem, tem, como um de seus pilares, a excelência.

Este nível de excelência, segundo ele, se conquista por meio de atos como a realização do Cielli. Conforme Damasceno, a UEM está conectada praticamente com todos os países, fazendo ações concretas de internacionalização.

A professora Cristiane Carneiro Capristano, presidente da comissão organizadora, assegurou que o principal objetivo do Cielli é congregar pesquisadores das áreas de linguística e de literatura, do Brasil e do exterior, para discutir os eixos temáticos propostos.

Cristiane

Cristiane citou o tema central do Colóquio, "“Políticas públicas, ética, internacionalização e pesquisa: discursos, práticas e desafios”, e enalteceu o fato de que os participantes são de várias regiões do Brasil e de outros países, o que, segundo ela, engrandece o evento.

O diretor do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCH), Angelo Priori, destacou a relevância da UEM, apesar de apenas 48 anos de existência, e afirmou que a internacionalização se dá por intermédio do intercâmbio de professores e alunos, e, por decorrência, da apresentação e desenvolvimento de projetos de pesquisa. Isso contribui para enriquecer o conhecimento e para direcionar os programas de pós-graduação, como o de Letras (PLE) para a internacionalização, conforme ele.

Falando em nome da pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Célia Granhen Tavares, o diretor de Pesquisa da UEM, Celso Nakamura, também exaltou a importância do intercâmbio entre pesquisadores e desejou aos estudantes que aproveitassem ao máximo o evento, em virtude da qualificação e renome dos conferencistas e palestrantes convidados.

Lenita

Após a cerimônia de abertura, a professora da Universidade de São Paulo (USP), Lenita Maria Rímoli Esteves, uma das tradutoras da trilogia O Senhor dos Anéis, fez palestra sobre o tema "Tradução e Ética: aspectos culturais, políticos e ideológicos".

Amanhã (14), a professora Maria Filomena Capucho (foto abaixo), da Universidade Católica Portuguesa, fará a conferência "Internacionalização acadêmica: mono ou plurilinguismo para uma comunicação intercultural?". Na sexta-feira (15), o professor Joel Austin Windle, da Universidade Federal Fluminense (UFF), vai falar sobre "A recepção, circulação e produção de conhecimento no sul global: para um letramento acadêmico crítico". Todas as conferências ocorrerão no Anfiteatro Adelbar Sampaio, Bloco F-67, a partir das 14 horas.

 portuguesinha

Promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da UEM (Universidade Estadual de Maringá), o 5º Cielli, realizado duas vezes por ano, prosseguirá até sexta-feira (15). Mais informações no site do evento cielli2018.com.br ou na página do facebook.

Veja a galeria de fotos