Tools

Dia de Luta

Organizada pelo Ambulatório Médico e de Enfermagem, atividade ocorrerá no período da manhã para qualquer interessado

Servidores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e membros da comunidade externa poderão se submeter, gratuitamente, ao teste rápido para HIV/Aids, que será aplicado na próxima sexta-feira (7), no Ambulatório Médico e de Enfermagem (AMB), bloco 1, câmpus sede da instituição.

Basta uma picadinha no dedo e em cerca de 40 minutos o resultado estará pronto. O atendimento ocorrerá das 8 às 12 horas, com a equipe de profissionais do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA, da Secretaria Municipal de Saúde.

A atividade faz parte do Dia Mundial de Luta Contra a Aids, comemorado no último sábado (1º). Conforme enaltece o coordenador do AMB, Sérgio  Ricardo Silva, o diagnóstico feito no início é fundamental para o tratamento e controle do HIV, proporcionando segurança e qualidade de vida ao portador do vírus.

O prédio do Ambulatório fica nas proximidades da Reitoria, perto da agência da Caixa Econômica Federal. Poderão se submeter ao exame qualquer membro da comunidade da UEM, seja aluno, professor ou agente universitário, além de interessados da comunidade em geral. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (44) 3011-4266.

Segundo informações do Ministério da Saúde, hoje é possível viver com o HIV, mas a Aids ainda é uma realidade. Atualmente, 75% das pessoas vivem com o vírus e conhecem seu estado sorológico. A meta da Organização das Nações Unidas (ONU) é garantir que até 2020 esse número chegue a 90%, e, desses, pelo menos 90% dessas pessoas recebam tratamento e, entre os que recebem tratamento, 90% tornem indectáveis – estado em que a pessoa não transmite o vírus e consegue manter qualidade de vida sem manifestar os sintomas da aids.

Ainda conforme o Ministério, no Brasil 92% das pessoas em tratamento já atingiram esse estado de estarem indetectáveis. Essa conquista se deve ao fortalecimento do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) para ampliar a oferta do melhor tratamento disponível para o HIV. Exemplo disso, é que o país incorporou o dolutegravir como medicamento de primeira linha para tratar os pacientes.

Além disso, no campo da prevenção, o SUS coloca a disposição da população as estratégias e tecnologias mais avançadas para a prevenção a infecção pelo vírus, como a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) e a Profilaxia Pós Exposição (PEP), além de ampliar o acesso ao diagnóstico precoce e ações específicas para populações-chaves para resposta ao HIV, como pessoas trans, os gays e homens que fazem sexo com homens, trabalhadores do sexo, população privada de liberdade e usuários de álcool e outras substâncias. Na página do DIAHV no Facebook o interessado pode obter mais informações.