Tools

2019 04 10 Cooperacao Internacional MG 4951Nesta quinta-feira, a pesquisa ministra uma palestra em que vai discutir o Desenvolvimento do Pensamento Crítico

A pesquisadora Martha Smith Caldas, da Kansas State University, reuniu-se com o reitor da Universidade Estadual de Maringá, Julio Damasceno, na manhã desta quarta-feira. O encontro foi acompanhado pela assessora de Cooperação Internacional, Sandra Mara Schiavi Bankut e pela coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Biociências e Fisiopatologia da UEM, Gessilda de Alcântara Nogueira de Melo. Um dos assuntos em pauta foi a participação da Kansas State University no desenvolvido regional, na área em que a instituição está inserida.

Sandra Bankut comenta que a vinda da professora Marta tem contribuído de diferentes formas para consolidar e expandir um acordo de cooperação internacional que já existe entre as duas instituições.

Ao comentar que a internacionalização é um processo dinâmico e não de ações isoladas, a assessora diz que quanto mais ampliada fora a troca de experiências entre as instituições mais fácil fica a consolidação de parcerias com o envolvimento de áreas estratégicas

“É importante aprender com universidades habituadas com formas diferentes de ensinar, dentro de uma dinâmica mais participativa, por exemplo. Este é um aspecto que a professora Martha Caldas tem contribuído efetivamente na sua estadia na UEM”, salienta a assessora. Desta visita, também se cogita a vinda de alunos para a UEM em programas de mobilidade.

2019 04 10 Cooperacao Internacional MG 4961
 Martha Smith Caldas, à direita da foto, com Sandra Mara Schiavi Bankut

Facilitar o aprendizado

Martha Caldas explica que sua proposta é divulgar metodologias que visam facilitar o aprendizado, instigar a curiosidade e o estabelecimento de confecções entre as disciplinas, além de fazer o estudante pensar nas inúmeras possibilidades que cada tópico estudado oferece. .

A professora da Kansas State University  começou a desenvolver atividades na UEM na semana passada e permanecerá  em Maringá até sexta-feira. Ela esta ministrando os cursos Active Learning (Aprendizado Ativo) e Descobrindo Fagos. Além disso, nesta quinta-feira ela irá proferir a palestra Desenvolvimento do Pensamento Crítico no auditório do Nupélia, Bloco G-90, das 13h30 às 14h30. A palestra é dirigida a alunos de diferentes graduações. Para inscrever basta clicar neste link.

Ela  é professora associada na Divisão de Biologia, da Kansas State University, em Manhattan, onde se dedica ao ensino das disciplinas Princípios de Biologia, Microbiologia e Virologia, envolvendo isolamento, caracterização molecular e análise genômica, e desenvolve atividades que buscam a melhoria no processo ensino-aprendizagem. 

Controle biológico

O curso Descobrindo Fagos, que começou no dia 6 e segue até 12 de abril, tem como principal proposta isolar fagos com potencial terapêutico para controle de bactérias. A aplicação desta terapêutica pode se dar na agricultura, no uso veterinário e  na saúde humana, no tratamento de doenças como a tuberculose ou outras doenças causadas por bactérias. “Nos Estados Unidos os bacteriófagos são aplicados comumente na indústria de alimentos, nos embutidos”, diz a pesquisadora, destacando que é uma terapêutica barata mas que ainda é pouco conhecida no Brasil.

Graduada em Biologia pela Universidade Federal de Viçosa, tem especialização em Entomologia pelo Centro de Pesquisas do Cacau, mestrado em Agronomia pela Universidade Federal da Bahia e doutorado em Entomologia pela Universidade de São Paulo.

Ela também participa de um programa de pesquisa nos  Estados Unidos, denominado SEA-PHAGES,  Science Education Alliance-Phage Hunters Advancing Genomics and Evolutionary Science (https://seaphages.org/) que envolve outras universidades e tem como foco a terapêutica com fagos.

A vinda da professora Martha é uma iniciativa do ECI e dos Programas de Pós-Graduação em Biociências e Fisiopatologia, em Ciências Biológicas,, em Ciências Farmacêuticas e em Ciências da Saúde.

uem tv