Tools

WhatsApp Image 2019 05 09 at 08.58.00 2

Quem for à Feira poderá testar aparelhos para a prevenção de acidentes, sob a coordenação da UEM e da Semob

Visitantes da Expoingá poderão apreciar, além de várias atrações oferecidas pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), atividades com óculos de simulação de embriaguez, simulador de capotamento e informações relacionadas à prevenção de acidentes, que serão apresentadas em celebração ao Maio Amarelo.

Sob a coordenação da professora Débora Moura, do Departamento de Enfermagem (DEN), da UEM, as atividades, no próximo sábado (11|), das 13h30 às 17h30, terão a participação dos estudantes da Universidade e serão desenvolvidas em parceria com a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana. É no estande do Semob que ocorrerá o evento.

Débora e a também professora Thais Mathias (DEN) integram a Comissão de Análise de Dados do Programa Vida no Trânsito (PVT) no município.

Em nível mundial, o Programa surgiu de uma iniciativa proposta pela Blomberg Philanthropies denominada "Road Safety in Tem Countries (RS 10)", atualmente conhecida por Bloomberg Global Road Safety Program (Programa Global de Segurança Rodoviária da Bloomberg). 

O compromisso assumido foi o de investir 125 milhões de dólares em dez países, de média e baixa renda, que apresentassem o maior índice de mortalidade causada pelo trânsito entre todas as nações do mundo.

Em 2009, o governo brasileiro, por meio do Ministério da Saúde, aderiu ao PVT. O Programa tem o objetivo de promover intervenções efetivas de segurança no trânsito com evidência na redução das mortes e feridos graves.

As ações prioritárias estão focadas no uso do cinto de segurança, redução de velocidade, aprimoramento da legislação e aumento da fiscalização sobre “beber e dirigir”, uso de capacete, transporte urbano sustentável e na melhoria da infraestrutura viária.

De início, o Programa foi implantado nas cidades de Palmas, Teresina, Belo Horizonte, Curitiba e Campo Grande, cada uma representando uma das cinco macrorregiões do País.

As principais diretrizes da metodologia do PVT são o planejamento participativo, a descentralização administrativa e a intersetorialidade.

Em meados de 2017, Maringá aderiu ao “Projeto Vida no Trânsito”, em apoio à iniciativa internacional coordenada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).