Tools

Ricardo Dias na agricultura familiar

Discussão ocorreu, hoje, com interessados, quando a universidade falou da necessidade de aquisição para a creche, RU e o hospital; veja as fotos do evento

Numa atitude inédita entre as instituições estaduais de ensino superior públicas do Paraná, a Universidade Estadual de Maringá iniciou, hoje (9), com as cooperativas e empresas ligadas ao setor, o debate para a formulação da chamada pública visando a compra de alimentos da agricultura familiar.

Reunida com representantes de 11 cooperativas de agricultores familiares e do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), a UEM apresentou aos convidados os gêneros alimentícios necessários para abastecer o Hospital Universitário, a Creche e o Restaurante Universitário. 

No caso do HU, a comida, a ser preparada na própria cozinha do hospital, será servida aos pacientes, pois os servidores tem as refeições fornecidas, no refeitório do HU, por empresa terceirizada.

Esta modalidade de compra institucional está prevista no Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA-CI).

Conforme as orientações e o marco legal do PAA, os preços devem ser compatíveis com os valores vigentes no mercado, em âmbito local ou regional. Esta aferição e definição serão feitas por metodologia elaborada pelo Grupo Gestor do Programa.

Ao criar o PAA, o governo federal buscou assegurar uma política pública que se utilizasse do poder de compra do Estado para promover o crescimento e a renda locais e ainda garantir o direito à alimentação adequada pela população.

Assim que forem definidas as regras do edital da Chamada Pública, os interessados poderão colocar seus produtos à venda, seja de produção orgânica ou agroecológica.

Estarão aptos a participar agricultores familiares, empreendedores familiares rurais, as cooperativas e as organizações formadas como pessoas jurídicas de direito privado.

Falando sobre o pioneirismo da UEM neste segmento, o vice-reitor Ricardo Dias Silva comentou que a chamada pública é uma maneira de aproximar a universidade da comunidade externa, buscando soluções que beneficiem as partes.

O vice-reitor discorreu sobre a agricultura familiar, destacando o papel importante que ela tem na distribuição de alimentos saudáveis. Silva ainda enalteceu a preocupação da UEM em oferecer comida de qualidade e segura aos beneficiados. Segundo ele, há o desejo de incorporar o trabalho da agricultura familiar ao padrão de excelência buscado pela Universidade.

Com a presença também de representantes da Agência de Desenvolvimento Regional do Extremo Oeste do Paraná (Adeop), Fundação Interuniversitária de Estudos e Pesquisas sobre o Trabalho (Unitrabalho)/Núcleo UEM, o encontro, ocorrido na sala de reuniões da Pró-Reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários (PRH), teve a coordenação da diretora de Assuntos Comunitários da UEM, Telma Maranho Gomes.