english 2020 setembro UEM

Professores da UEM têm até sexta (25) para manifestar interesse em participar de curso com Dr. Stillwell, dos EUA

Depois de as universidades Estadual de Maringá (UEM), Estadual de Londrina (UEL) e Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) terem conseguido financiamento da Embaixada dos EUA no Brasil para o projeto “CLIL and Technologies for Teachers in Paraná, mais uma proposta delas recebe financiamento do Escritório Regional de Língua Inglesa (Relo Office) da embaixada. Desta vez, para oferta de curso sobre Inglês como Meio de Instrução (EMI, na sigla em inglês) para a formação de professores de graduação e pós-graduação no Paraná.

O curso de extensão, que abrangerá as sete universidades estaduais do Paraná, mais UTFPR e Universidade Federal do Paraná (UFPR), será ministrado por Christopher Stillwell, professor doutor da Universidade da Califórnia, Irvine (EUA) e da Faculdade das Sequoias (EUA). As aulas on-line vão ocorrer entre 22 de outubro a 20 de novembro.

 

cstillwell

Professor Christopher Stillwell, da Universidade da Califórnia, Irvine (EUA)

 

“Estamos em um trabalho conjunto de alinhamento muito forte entre a Política Linguística e a Política de Internacionalização, sabendo que o idioma estrangeiro é um importante componente da internacionalização para nossa universidade e um importante desafio”, declara Sandra Schiavi, assessora do Escritório de Cooperação Internacional (ECI) da UEM.

A iniciativa leva o nome de “EMI for universities in the state of Paraná” (EMI para universidades do Estado do Paraná) e tem apoio da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (Seti) e dos escritórios de cooperação internacional da UEM e da UEL. O objetivo é “desenvolver conhecimento teórico-prático sobre EMI, contribuindo para a oferta de cursos em língua inglesa nos cursos de graduação e pós-graduação, além de possibilitar a construção de uma comunidade de professores que ministram ou têm interesse em ministrar aulas em inglês”.

Participe do curso – Professores da UEM que têm interesse em fazer o curso devem preencher até sexta-feira (25) o formulário enviado pelo ECI para os e-mails institucionais das secretarias dos departamentos. Caso não tenha recebido o e-mail, escreva dentro do prazo para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. .

 

Conheça melhor o EMI

A proposta “EMI for universities in the state of Paraná” é coordenada pelas professoras Luciana Cabrini Simões Calvo (UEM), Michele Salles El Kadri (UEL) e Taisa Pinetti Passoni (UTFPR, câmpus de Pato Branco). “Ao interagir com o especialista virtual, com as coordenadoras e com os docentes das diferentes instituições de ensino superior do Paraná, os participantes aprimorarão seus conhecimentos sobre EMI para que possam implementar essa prática em suas aulas, contribuindo, assim, para a internacionalização dos cursos”, justifica Calvo.

Schiavi, assessora do ECI da UEM, reforça que a internacionalização do currículo abrange uma série de ações, indo além da oferta de disciplinas em Língua Inglesa, embora esta seja uma atividade muito importante. Ainda de acordo com a assessora, “o EMI ajuda o professor a desenvolver técnicas acadêmicas e metodológicas para lecionar a disciplina dele em Língua Inglesa, mesmo não sendo fluente e mesmo para alunos não fluentes”. Saiba mais, em explicação de Schiavi, no vídeo abaixo.

 

 

Segundo El Kadri, “a proposta dá continuidade a outras iniciativas existentes nas universidades para que a discussão e reflexão sobre o uso do Inglês como Meio de Instrução aconteça, inclusive a necessidade da problematização dos motivos, razões, contextos que a perspectiva pode trazer para os currículos dos cursos de pós-graduação”. 

Para Passoni, “o curso apresenta duas grandes vantagens geradas pela interação on-line: primeiramente, será um espaço para interlocução entre os professores das universidades públicas do Estado, de modo que poderão surgir parcerias; e para nós, que atuamos especificamente com a Língua Inglesa, será um momento para identificarmos as demandas dos docentes, bem como para ressaltarmos a relevância de ações em prol dos idiomas, já que as línguas são ferramentas indispensáveis para internacionalização das universidades”.